A

pesar de ter sido lançado em maio do ano passado, só nos últimos meses de 2015 é que resolvi experimentar a aplicação Google Photos.

Para quem não sabe, a Google resolveu “partir” em vários bocados a sua rede social, o Google + . Desde dessa data passou a existir a aplicação Google Photos. Neste artigo descrevo a minha experiência de utilização desta aplicação e porque é que gosto em muitos aspetos e noutros nem tanto.

A minha experiência

Google-Photos screen
Imagem:Google

Depois de ter usado durante algum tempo, fui chateando alguns amigos para experimentarem, entre eles, o Alexandre Pontes, do nuvens365.com e eis as conclusões a que chegámos.

Instalação

Para quem usa aplicações da Google sabe bem que a sua instalação/utilização costuma ser muito fácil e é o caso desta. No entanto e infelizmente a aplicação só está disponível para IOS (iphones, ipads, macs, etc) e para Android (tablets e smartphones) deixando de fora os windows phone. Para windows existe a aplicação desktop.

Para se instalar basta ir a este endereço e escolher a aplicação que pretende.

Carregar (upload) fotos

Fazer o carregamento das fotos, no pc o no mac é tão fácil como arrastar e largar as fotos, iniciando-se o carregamento automaticamente.

A favor

Organização automática das fotos

Embora também se possa revelar um contra, a organização automática das fotos permite-nos ter de imediato tags (etiquetas) associadas a cada imagem ou álbum, tornando a sua pesquisa muito mais fácil.

Quando é feito o carregamento das imagens, caso esteja disponível a informação, as fotos também são organizadas por localização e datas.

Embora se possa identificar pessoas nas fotos, ficando essa informação visível apenas para o proprietário das imagens, esta funcionalidade só está disponível, por enquanto, para os Estados Unidos. Espero que em breve esteja disponível para todos.

Partilha de fotos

Convenhamos, partilhar fotos para as redes sociais já se tornou banal, certo? Portanto, sim, é permitido a partilha direta para redes sociais, infelizmente, só é permitido diretamente para o Facebook, Google + e para o Twitter. Para as outras terá de ser através de um link.

O que me excitou mais foi a possibilidade de podermos partilhar diretamente, para o whatsapp ou messenger do facebook, as animações.

Se isto já era bom, imaginem quando descobri que podíamos partilhar álbuns de forma privada, através de um link, e que quando já não quisermos partilhar mais esse álbum, basta removermos a partilha?

A única coisa contra aqui é que qualquer pessoa que tenha acesso ao link vai poder ver o álbum, não existe forma de partilhar apenas com algumas pessoas.

O destinatário do link não precisa de ter uma conta da Google para poder ver o álbum

 Para quem usa a fotografia como negócio, aqui está uma sugestão de como mostrar o trabalho ao cliente. Ao partilharmos um álbum também podemos permitir que outras pessoas adicionem fotos ao mesmo.

 

Editar fotos e criar colagens

Ao carregarmos as imagens, do nosso dispositivo móvel, a app cria automaticamente, por omissão, algumas animações com fotos semelhantes, mas também pode criar colagens de fotos. Tudo isto também pode ser feito manualmente.

Para quem gosta de partilhar fotos, existe ainda um editor de imagens básico, que permite ajustar luz, cor, fazer um crop, etc. E ainda permite a aplicação de filtros como os do Instagram.

Para além de poder editar directamente no Google Photos, podem também abrir a imagem, para edição na aplicação Snapseed, uma aplicação muito poderosa e gratuita para IOS e Android.

IOS: https://itunes.apple.com/EN/app/snapseed/id439438619?mt=8

Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.niksoftware.snapseed&hl=en

Guardar a edição nas fotos do smartphone

Depois da imagem ser ajustada podemos escolher se queremos que a imagem final também seja guardada no local normal das fotografias no nosso dispositivo móvel.

Contra

Li, em alguns blogs e artigos espalhados pela Net que o maior contra reside no tamanho das fotos que podemos carregar, sem pagar.

Existem 2 opções, que nos são apresentadas quando carregamos as imagens

Fotos de alta qualidade- Os nossos JPG
Fotos em Raw- Desde que estas não atinjam os 16MP nao é necessário preocuparmo-nos com o espaço, mas se forem maiores que 16MP ocupam o espaço da conta Google (até aos 15GB) e a partir daí tem de ser comprado espaço.
Em minha opinião, maior parte de nós, fotografos não terão maquinas com 16 ou mais MP, logo não teremos de nos preocupar em pagar alojamento para as fotos.

Carregamento de Raws

Aqui, foi o meu amigo Alexandre Pontes, do nuvens365.com a fazer a experiência. Ele carregou 3500 fotos e chegou a uma triste conclusão. As fotos são carregadas sem problemas mas não levam agarradas as edições que eventualmente tenham sido feitas às mesmas, ou seja vai mesmo o ficheiro original.

Este sim, é um ponto forte contra, em minha opinião.

Existem outras, pequenas coisas de que não gosto, como por exemplo:

  • O facto de só poder ser usado por quem tem as ultimas versões do IOS ou Android;
  • Não existir uma forma de sincronizarmos todos os nossos dispositivos;
  • Apesar de podermos criar álbuns localmente, a aplicação tem vontade própria e não respeitar a nossa estrutura.

Conclusão

Apesar de ainda lhe faltarem alguns pormenores penso que é uma boa alternativa para a maioria das “nuvens” que existem (Icloud, Amazon, etc.) para quem quer armazenar as suas fotos com alta qualidade e pelo preço, é mesmo bom,

Uma última nota, quem usar o Google Photos, não se pode preocupar com a privacidade, não a nível de acesso às imagens, porque essas estão seguras mas podemos ter a certeza de que a Google aproveitará as nossas fotos para estudar mais o nosso perfil e apresentar-nos publicidade mais direccionada. Eu não me importo com isso e acho que é um preço justo para o serviço que nos oferece.

 

O que têm a dizer sobre isto? Usam, não usam? Odeiam? Amam? Digam de vossa justiça.